segunda-feira, 24 de março de 2008

Música
As safadinhas da Orquestra Imperial
As letras que falam do sexo e sensualidade de forma sutil e natural, embalados pelo ritmo do samba, mpb e carnaval – e um pouco de 3namassa também


Imagino que todo mundo já conhece a Orquestra Imperial, aquele coletivo de artistas, que conta no elenco com Kassin, Amarante, Berna Ceppas, Moreno Veloso, Domenico, entre muitos outros, que fazem uma MPB de primeira, com influências de ritmos latinos e carnavalescos (vide o nome do primeiro álbum, “Carnaval Só Ano Que Vem”).

Saindo um pouco da Orquestra, mas sem mudar a temática, semana passada li na Ilustrada da Folha a matéria sobre o 3namassa, outro coletivo de artistas (que misturam integrantes de Cidadão Instigado, Nação Zumbi, Orquestra Imperial) que tem como base a interpretação feminina de versos escritos por homens, cujo assunto principal é o sexo.

E o que une esses dois projetos? Aqui, neste texto em especial, além dos integrantes em comum, quero exaltar a temática do sexo e da sensualidade que são tratados de forma poética, agrandando de pessoas modernas a conservadoras, sem se fazer notar de que estão falando exatamente na mesma coisa.

Na Orquestra Imperial, para citar algumas canções, temos as ótimas Ereção, Yarusha Djaruba, Era Bom e Ela rebola, todas essas com a malandresa e boemia que conhecemos em Chico Buarque, e outras figuras da MPB.

Esse pessoal, e muitos outros por aí, resgatam a beleza da sensualidade e do sexo, de uma forma, que não poderia ser diferente, natural.

Isso devia ter deixado de ser tabu há tempos.



Orquestra Imperial e sua trupe (Foto: orquestraimperial.com.br)
*****************
Por Zelenski, ao som de Chico Buarque, Flor da Idade

Um comentário:

Rodrigo disse...

É sempre bom ter a arte para conseguir quebrar alguns tabus!