terça-feira, 17 de março de 2009

Accidents, Pale Sunday, Faichecleres, Beagles e Fellaccios

As mil e uma histórias dessas noites no Divina Comédia

Vou ter que ser bem direto, pois tenho muito a relatar. Assim, vamos por ordem do que é mais recente: neste último sábado, rolou Accidents e Pale Sunday, na Divina Comédia.

As atenções estavam voltadas para o agora trio Accidents, estreiante na formação, com o Rafael Korova's na batera e o Felipera não apenas no vocal, mas também na guitarra. Eu gostei muito, o som ficou mais pesado (na ocasião, ficou tudo um tanto alto, mas deu pra sentir a nova essência da banda). Destaque para a participação do guitarrista do Korova's, Lucas, em algumas músicas.

Accidents

Antes deles, tocaram os rapazes do Pale Sunday. Só tenho a dizer que é uma banda muito foda, com um som muito característico, fazendo um soft rock muito bem trabalhado e harmonioso. Virei fã. E também virei fã do projeto paralelo de alguns dos integrantes, o Alma Mater, que eles deram uma palhinha quando o baixo tinha dado problema. Eu e o Phael, ambos do Cor-Séría, pensamos ser um cover de Mogwai, num primeiro momento.

Pale Sunday

O que me entristeceu um pouco na noite, foi a busca por, digamos assim, "hits", por parte de algumas pessoas no público. Tanto por parte da minha discotecagem quanto pelas bandas. O que é complicado, em uma casa como o Divina que tem uma proposta de música de qualidade e bandas autorais. Digo e repito que é difícil tocar em frente coisas que possuem conceito/ideologia, não apenas visando o sucesso financeiro (claro que isso é fundamental também).

Todas as fotos você confere no meu flickr, aqui.

Ah! Isso me fez lembrar que na noite anterior rolou Projeto Raimundos, como Gui do Motocontinuo e o André e Alê, ambos do Mentecapto (desculpa, mas eu não sei o nome do batera, que mandou bem pra caramba). Foi louco pra caralho. Muito bom.

*******

Aí voltamos há duas semanas. Dia 27 de fevereiro. Noite de amores e ódios. Aniversário do Alê, do Divina. Show com as bandas Fellaccios, Faichecleres e Beagles. Casa cheia, muito cheia. E muito rock.

O barulho começou com a já conhecida banda da cena da Terra do Caqui: Fellaccios. Fellaccios, Porra! Eles fizeram um show muito bom, como sempre, com uma grande presença de palco, músicas com influências dos anos 60, 70, e muita pornochanchada sonora. Muito bom.

Fellaccios, Porra!

Depois veio a banda Beagles, com um rock'n roll simples e sincero, com uma pegada bem bacana. Me emocionou ouvi-los tocar Like a Rolling Stone.

Beagles

E, para fechar, os rapazes do Faichecleres tocaram o rock que eles bem sabem fazer, cativando boa parte do público que havia ido exclusivamente para vê-los.

Faichecleres

As fotos você confere aqui. E, abaixo, segue um pequeno vídeo que mostra trechos dos shows de todas as bandas da noite, mais uma rápida entrevista com os caras do Faichecleres, que falaram do rock, Mogi, internet e a cena. E que Mogi tem muita garota bonita XD (Claro, com o "Modere seu linguajar, Robin mode off").

Divirtam-se!




Por Zelenski, ao som de Pulp.

*******

PS: Quero levantar duas lebres:

• As bandas fazem parte da cena. E seus integrantes? Eles fazem parte da cena como público?

• Estamos carentes de pessoas que não tenham medo de arriscar de botar o pé na estrada? Uma vez que o rock não se faz sozinho?

8 comentários:

André disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
André disse...

Zê, eu adoro seu blog.
Nunca pare de escrever coisas sobre nossa amada "província" !
Algum dia alguma coisa muito boa vai acontecer, e vc vai estar a frente pra contar!!!!

Parabéns rapaz!!!

André.

Regis Vernissage disse...

dividimos a visão desta importante variável que acontece na cena onde as bandas se dizem parte dela (o que é incontestavelmente verdade) mas seus integrantes (nem todos, ok??) ficam à margem do que está acontecendo, tipo vendo o navio partir de cima do muro pra depois gritar: "espere por mim!"... a gurizada tem que conscientizar que nada adianta ficar reclamando que não tem público, que não há lugar pra tocar (nós bem sabemos que há), etc, se a iniciativa participativa que deve vir da própria banda em primeiro lugar nem sempre acontece...
nós bem sabemos que todos temos compromissos paralelos e de nada custa (ou muito pouco) o pessoal das bandas frequentar as novas e "velhas" bandas locais... lembrando que sempre terá uma atração de fora junto e que o intercâmbio que acontece hj em mogi, tendo toda semana banda de fora tocando na cidade, já é um puta adianto em comparação ao marasmo que vivíamos há 3, 4, 5 anos atrás, com festivais esporádicos e nenhuma rota "fixa" para a troca acontecer...
vamo q vamo pois a discussão está começando a ficar sadia!

Dan disse...

Exato. E também acho que todas as bandas tem um certo 'direito' de cobrar a presença de colegas de bandas da cidade em seus shows. Muitas vezes nao custa nada, ou custa pouco, ou as vezes é muito. Enfim, o que acho é que devemos um apoiar os outros, e sei que fazemos isso bem, e me ponho no meio disso. Por consideração, por ver um som bom, novidades, etc. Devemos dar cada vez mais força a 'cena' que o Regis tanto insiste em frisar e mostrar pra todos nós que existe. E EXISTE MESMO.
Isso soa meio que um pedido de desculpas pela Cafetones e principalmente de mim, Dan. Não por nao ter ido apenas no show de voces, mas em muitos outros neste começo de 2009. Minha vida anda corrida nesse primeiro semestre, e infelizmente nao estou conseguindo arranjar tempo a nao ser pro meu TCC. Mas acredito nas bandas, gosto de quase todas, e as que nao gosto, tento dar o apoio do mesmo jeito, porque a união faz a força!

Enfim, contem comigo, contem com Mogi, cada um que estiver lendo isto. A gente pode, vamos valorizar as bandas daqui, que são demais!

Regis Vernissage disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Regis Vernissage disse...

pode crer dan, tanto que já vi gente de fora dizendo que mogi é a "seattle brasileira" devido à grande quantidade/qualidade/diversidade/originalidade das bandas que a região hj possui... pode nem ser pra tanto, não queremos inflar o ego de ninguém, mas que é fato que mogi é hoje em dia um puta celeiro musical e essa organização que tanto lutamos a favor será a via de escape para a produção local fluir...

Zelenski disse...

Valeu pelos comentários, pessoal.

Cara, Mogi tem muita banda legal. Como uma vez disse o Alê, do Menteca, teria que juntar vários Vanguarts pra dar uma banda de Mogi.

Qualidade musical, nós temos. Mas acho que falta um pouco a consciência de que uma banda independente não basta tocar. Tem que movimentar, participar, fazer... apoiar as demais banda, fazer barulho quando algo bacana acontece.

é isso que eu sinto falta.

f f f disse...

Eu acho muito bacana o que vocês já tem por ai... eu como um "estrangeiro" acho sensacional o que acontece em Mogi, vocês estão conseguindo juntar bandas e formando um grupo legal de pessoas interessadas em fazer acontecer, diferentemente da minha região, onde as bandas nem se conhecem, acho que principalmente pela falta de lugares pra tocar.

Mas a gente não para e estamos indo atrás de pessoas interessadas, seja no ABC ou em qualquer outro lugar